ESTEJA A VONTADE E SEJA MUITO BEM VINDA!!!

Páginas

Pesquisar este blog

domingo, 29 de abril de 2012

Comunicação

                Adoro cartas.
                Sou uma desses pessoas que detestam telefones. Não sei conversar sem ver os olhos, as mãos, a mímica facial de meu interlocutor. Os sons das palavras saem pelo fio destituídas de qualquer sentido. Será que do outro lado alguém estará bocejando, olhando o relógio ou assistindo à Sessão da Tarde? Terá meu telefonema interrompido um beijo, os cálculos do Imposto de Renda, uma briga familiar?
                Isto, bem entendido, quando se consegue a ligação, pois as linhas estão freqüentemente ocupadas, ou ninguém atende, ou então, o que é mais frustrante, há do outro lado uma parafernália eletrônica que educadamente anota recados.
                Além de sentir-me uma idiota ao falar com uma máquina, fica a desconfiança de que o outro está confortavelmente a ver o futebol, saboreando uma loira gelada e ouvindo perfeitamente os recados pela ‘viva voz’ - atenderá se quiser.
                Telefonemas são sintéticos, frios, objetivos. Nada de sutilezas sentimentais. Não há espaço para as nuanças das entrelinhas.
                Em uma carta, a alma esparrama-se como um gato em um tapete macio. O telefone nos tolhe como uma camisa de força. Há sempre o risco de interrupção - a campainha, uma criança que chora, uma panela no fogo. A carta, pelo contrário, nunca é inconveniente - se não chega em momento propício, nós a guardamos para ler mais tarde com a atenção devida a um amigo querido.
                Hoje, contudo, a amizade existe em razão direta da distância. Apesar do advento da Internet, a comunicação atual é telegráfica e superficial. Na Era da Informação, as pessoas tem pavor de expor-se.
                Tenho esperança de que o hábito de escrever longas e afetuosas cartas volte a ficar em moda. Enquanto isso, para não perder o costume, vou escrever um diário.

Nenhum comentário:

Postar um comentário

Seu comentário é muito bem vindo, nós respeitamos a sua opinião. Pedimos a gentileza de observar as regras da cortesia e do bom senso.

Arquivo do blog